[Resenha livro] Além de Marte - Eikki Arkady

Imagem pela autora/Yaoi Toshokan.


Título: Além de Marte
Tipo: Livro
Gênero: BL
Rating: +18
Ano: 2016
Páginas: 167
Autor: Eikki Arkady
Link para adquirir: AMAZON (Ebook)
Sinopse: Além de Marte é uma obra homoerótica com um enredo de ficção científica e romance, situada numa era pós-apocalíptica na qual a Terra se torna inabitável e a raça humana recorre a Marte, onde enfrenta problemas com alimento e água. Corrupção e injustiça são o cenário no qual o personagem Cane desenvolve sua paixão pelas viagens espaciais e seu afeto pelo incógnito Kalevi. (sinopse by: amazon/original autora).


Bodia gente! Bem, sei que estão acostumados com minha ausência neste blog, que há muito não é movimentado, porém, nesses últimos dois meses tenho uma justificação: COMECEI A FACULDADE! AEHO! O que era um pesadelo por vários anos na minha vida finalmente se concretizou e agora sou uma universitária digna. Porém, não tenho carteirinha, nem passe e nem nada por... falta de tempo. Ainda não fiz nenhuma dessas coisas, algumas o prazo já expirou, estou correndo contra o tempo para fazer minhas leituras e essas coisas que vocês todos já devem estar exauridos de tanto que eu repito.

Mas eu vim fazer essa resenha simples (não se preocupe, não pretendo fazer muitas considerações específicas e nem fazer textão) porque é um livro de uma amiga, staff do Toshokan e que eu e a Lena fomos ler assim que deu. Leninha postou resenha esta semana AQUI, no site do Yaoi Toshokan; e eu vim fazer minhas considerações para ajudar na divulgação (e porque foi o último livro "yaoi" que eu li para fazer resenha de algo concreto por aqui, risos).

ATENÇÃO: O TEXTO ABAIXO PODE CONTER SPOILLERS!

Em um universo futurístico onde os humanos conseguiram fazer a façanha de DESTRUIR O PLANETA TERRA e todos os seus recursos naturais, - que sabemos bem, já não estão aquelas coisas de saudável - e posteriormente migraram para MARTE, somos apresentados à uma nova forma de viver. Escassos de água, de comida, de qualquer coisa que hoje em dia consideraríamos normal para um ser humano possuir - a própria dignidade - um dos meios de adquirir água para a sobrevivência da espécie humana é buscando água em outros planetas. Não vou me aprofundar em COMO eles fazem isso, pois o primeiro capítulo é dedicado à sua explicação e é isso que me fez ficar vidrada logo no início.
Edit (11:24): Havia esquecido de comentar, mas a Terra ainda "está lá" no lugar dela, mas inabitável e os únicos que estão lá são escravos para produzir comida onde há terra fértil. Neste quesito, eu imaginei uma Terra semelhante (até pelas descrições) do mesmo que "Capitão Harlock, Pirata do Espaço", aquela animação japonesa linda, porém com enredo meio bosta HEOAHEOAEOA A Terra que mostra no filme foi meio a que eu imaginei enquanto estava lendo o livro.

Esse primeiro capítulo introdutório, onde não somos jogados do nada no universo do protagonista é um dos tipos que eu mais gosto de ler. Não fico tão perdida, e ao contrário, já entro de cabeça no que está acontecendo atualmente, onde ele vive, etc. Cane é nosso protagonista, e é na visão dele que conheci esse novo mundo, onde ele é uma das pessoas responsáveis pela coleta da água em outros planetas - podendo ficar por meses em uma espaço-nave apenas para este propósito: os chamados Coletores.

Em uma boa parte do início, me pareceu muito mais uma obra de aventura/ficção do que um livro de romance (muito menos homoerótico), pois apesar da introdução fazer-se necessária neste meio, ela ainda é longa, mas muito interessante. O que dá uma quebra, porque quando Kalevi, o futuro par romântico de Cane aparece, essa atmosfera que já estávamos acostumadas quebra-se e dá, finalmente, lugar ao romance. Porém, esta quebra não é sutil, ela vem na forma de capítulos. 

Kalevi é um jovem muito misterioso. Começando pela sua aparência, delicada, quase beirando ao frágil, loiro e de madeixas longas; em um mundo onde eu percebi, os mais fortes sobrevivem melhor, faz ele mais abstrato ainda. Cane apaixona-se por ele, e apesar de narrar muito bem o seu próprio propósito em ser um coletor, em fazer nós nos apaixonarmos pelos outros personagens que convivem com ele - a camaradagem que os coletores têm entre si, esta amizade que liga uma sociedade pobre em cultura é algo que amei também -, por sua mãe; tudo vêm à baixo quando Kalevi aparece. Chegou um momento do livro onde eu tive a impressão de se tratarem de dois personagens ali: O "Cane sem o Kalevi" e o "Cane com o Kalevi". Pois Kalevi é misterioso, como eu disse; e aparece em alguma expedição, depois some por meses, e depois aparece na casa de Cane como se eles tivessem se visto no dia anterior. 

Obviamente, para quem me conhece, eu preferi o "Cane sem Kalevi" (nesta parte, faço referência à resenha da Lena no Yaoi Toshokan onde concordamos em uma parte essencial que dita toda a história por parte deste personagem: "Ele infelizmente ditou de mais o que acontecia na história no momento, já que quando ele surgia ele virava o foco do Cane e as vezes um desenvolvimento do universo era cortado para dar o desenvolvimento do romance"). O livro traz um universo que eu, que nem gosto tanto assim de futuros distópicos, consegui me interessar. A própria narrativa do Cane, que apesar de tudo gosta do mundo onde ele vive - e gostaria, é claro, de ver melhorias e faz isso sendo um coletor - faz você seguir por este caminho. Mas o povo sofre, ele clama por comida e água e quando estamos nos aprofundando melhor no assunto, chega o Kalevi novamente para quebrar isto e fazer o tipo de personagem que mais odeio: O alienado que não é ignorante. Como assim?

Bem... Ele não fazer parte do povo que sofre já não é nenhum mistério, visto as circunstâncias em que ele aparece e os trejeitos, até o modo em como ele desconhece o sofrimento alheio. Porém, acentua-se isso com o fato de que ele defender a burguesia, odiada por... Todos. Ninguém gosta dela, afinal, como amar um grupo de pessoas que consomem das melhores fontes, em quantidades suficientes para acalmar a voz de um povo faminto? Vê? O livro me prendeu mais em seu universo, onde mesmo em um futuro distante, ainda tem a hierarquia injusta que temos hoje na sociedade. E daí o Kalevi vem com aquela conversa de "ah, mas não é bem assim" sendo que meu filho, É ASSIM. Ele precisa entrar naquela seita, sabe? "A Seita Que Dói Menos". 

E aos trancos e barrancos, os dois vão "construindo" e "desconstruindo" esse romance. É inegável a depressão de Cane, que se acentua pois sente falta de Kalevi nos momentos de sua ausência; em sofrer pois ele aceita ele de volta sem muitos rodeios quando ele retorna, afinal, está perdidamente apaixonado e quer aproveitar estes poucos momentos que têm juntos da melhor maneira possível. Nessas horas vemos que nem tudo é sofrimento em Marte, e que Cane, por ser um coletor, consegue aproveitar um pouco mais do que o restante das pessoas mais pobres por causa disso; e mostra tanto o sofrimento como as alegrias para o alientado Kalevi em passeios por Marte. Quando eles estão juntos, a felicidade é inegável, mas passamos o livro inteiro sem saber o porquê exatamente dos sumiços do loiro e - embora ele deixe pistas notáveis - do que Kalevi é. 

E o desfecho do livro foi... Decepcionante. Não há outras palavras e eu não poderia jamais dizer que senti outra coisa a não ser esta. Foi um universo incrível onde eu posso jurar que poderia ser bem mais explicado, explorado de diversas maneiras possíveis e ele simplesmente corta tudo apenas porque Kalevi e Cane têm de estarem juntos. Ficou várias pontas soltas, esquecidas, que aconteceram ao longo do livro que eu gostaria de até que tivesse uma continuação do livro; para juntá-las e deixar este universo ótimo, junto com o agora também ótimo romance de Cane (ou Anatole, prefiro Cane porque nunca vou lembrar que o nome do protagonista é Anatole, risos) e Kalevi. A leitura em si não posso reclamar, não foi maçante em nenhum quesito para mim e me prendeu, e por isso mesmo me deixou com altas expectativas do final, o que não se concretizou.

Acho que eu consideraria deixar uma dica: Leiam o livro sabendo que se trata de um romance, nada além disto. O universo é bem construído e, fora as partes em que o romance se sobressai; ele é bem explorado; mas no final volta ao romance e acaba não terminando o desenvolvimento que começou. 

Eu gostei muito do livro e eu jamais teria o pensamento de "queria que tivesse continuação" se não tivesse me prendido. Vejam que eu nem comentei nada da escrita aqui, porque ela é boa, ela prende, ela passa os sentimentos de Cane que eu simplesmente adoro ele como personagem; mas não gosto do Kalevi tanto assim, pois não vejo ele aos olhos apaixonados de Cane (e como somos apresentados), mas sim uma visão do que ele realmente é. A parte que eu não gostei da escrita EM SI (não que seja ruim) são as partes de sexo, TODAS. Não sei se é algo meu (provavelmente é), mas fiquei incomodada em como ela era narrada e tudo mais, e algumas coisas que aconteceram durante estas cenas que eu fiquei tipo... Não. Enfim, não gostei de nenhuma das cenas de sexo de nenhum livro que eu li até hoje, então até tinha esquecido de comentar isso em um primeiro momento, mas cá estamos nós. Não é algo que prejudique a história, eu acho.

É um primeiro livro da autora, nacional, fresquinho na Amazon para serem devorados e criticados por todos. Acho que é para isto, em parte, que faço minhas resenhas - além de tentar fazer leitores lerem as obras - então espero ter ajudado alguém a decidir lê-lo, porque eu totalmente concordo que vocês devam fazer isso.

E, possíveis questões ou coisas que não entenderam da resenha - pela falta de tempo não houve sequer uma revisão do que escrevi - por favor me deixem comentários, sim? Beijo no kokoro, e torçam pra Miyaneo aqui não morrer de falta de sono por conta da faculdade (estou dormindo 3 horas por dia, e só consegui fazer a resenha porque tive um tempo livre aqui no escritório onde trabalho -q).

@Miyaneo

Comentários

  1. MAAAANO QUE PLOT DAORA. O que me chamou atenção foi o que disse sobre o quão bem construído é esse universo, só uma pena não ter tido um foco maior nisso. Se fosse uma obra de aventura/ficção, como disse, seria leitura certa pra mim! Mas sacomé né... homoerótico pra mim não dá qq De toda forma, adorei tua "breve" resenha, e digo entre aspas porque ficou perfeito pra mim, sendo que incluiu tudo que eu acho essencial em uma. Quanto a sua revisão, mesmo que tenha dito que foi corrida, não vi nada de mais(não manjo, mas nada que prejudique a leitura com certeza) tirando "justificação" ali no comecinho que pra mim soaria melhor como "justificativa" meus olhos viram apenas um ótimo texto! :D
    Força na sua rotina, moça! E até sua próxima resenha!




    ~ou qualquer hora pelas rede social da vida...~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada André por comentar KJDSDSJDALKD <33
      Tentei arrumar os erros, mas o blog é tão EU que mesmo quando eu conserto eu acabo errando algo LKDJSALDJADJALKJDKLASJ~ Vou tentar trazer resenhas de livros "normais", porque ultimamente você deve ser meu único leitor e eu gosto de escrever sobre outras coisas também, apesar de não parecer -q
      Obg, bjos! Sorry a demora em responder tb

      Excluir
  2. Obrigada pela resenha, Miya! Espero poder usar todos os conselhos pra escrever bem melhor nos próximos. Todas as críticas com certeza foram construtivas e estão anotadinhas na planilha uahaeuh <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KDSDASKLDSA Obg você Torta! Estarei esperando o próximo livro com certeza, já tem uma leitora garantida aqui!

      Bjos

      Excluir
  3. Ohayou, Miya-chan! Eu tenho estado extremamente ausente da blogosfera - do meu próprio blog e dos afiliados, acho que quase me identifico com os seus hiatus - então agora vim anunciar que regressei e comentar no seu post. Já agora, parabéns por entrar na faculdade! A minha também deve estar para começar, btw, eu ia jurar que você era mais velha que eu, mas pelos vistos não. E também tenho imensa papelada atrasada, sou sempre assim, o que deve parecer contraditório pois virtualmente eu até sou organizada, mas não passa para a vida real, haha >.<

    Então, a sua resenha está excelente e convenceu-me a NÃO ler o livro. Porquê? Porque reúne todos os elementos que eu detesto:
    - protagonista alienado não ignorante
    - enredo que vai para o lixo quando o romance começa
    - universo inteligente e interessante desperdiçado
    - potencial amoroso não convincente
    - apologia às injustiças da sociedade
    - romance mal desenvolvido e que passa a ideia de dependência (por causa das depressões quando Kalevi desaparecia, e de Cane o aceitar sempre de volta)
    - más cenas de sexo - aliás, algo aí parece não não consensual? Porque eu ABOMINO intimidade não consensual
    - final decepcionante

    Sabe o quê que eu gostaria de fazer? Uma vez que, tal como você, não tendo a ler SciFi, fico contente quando dou oportunidades e acabo gostando do universo, principalmente porque a escrita é boa e a introdução feita de forma envolvente e bem explicada. Então, por mim, leria o começo, aproveitaria a personagem do Cane e os seus companheiros, e começaria a criar uma fic para mim mesma a partir dos elementos iniciais. Yup.

    Boa sorte para não morrer de sono! ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Regras:
- Comentários serão publicados de acordo com o que a moderação liberar na análise, portanto, siga as regras.

- Sem SPAM / Divulgação / Propaganda do seu blog somente deixe o link APÓS o comentário.
- Pode palavrão, e essas porras todas aí, free internet. Porém, tenha o bom caráter de não comentar somente por hate, porque, bem, não irei publicá-lo (risos).
- Agradeço tua visita e sempre estarei disposta a dúvidas ou correções (sério, se virem algo errado no post, me avisem!!). Irei avisar se eu editar o post corrigindo.

Postagens mais visitadas deste blog

Hunter x Hunter (2011) - E o inesperado acontece!

Animes Yaoi -kawaii, sem shota, sem violência, Puro-

Mudança no Nyah! Fanfiction: Agora não pode mais postar fics de pessoas reais!